Cidade do interior de SP passa a usar gás do esgoto como combustível

Já em atividade na Europa, biometano substitui etanol e gasolina para abastecer frota da Sabesp em Franca

Rene Moreira, especial para o Estado

 

FRANCA – Veículos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp)  passaram a circular com um novo tipo de combustível em Franca, no interior paulista, nesta quinta-feira, 5. No lugar de etanol ou gasolina, a frota agora é abastecida com um biogás feito com base no tratamento de esgoto.

 

Cidade do interior de SP passa a usar gás do esgoto como combustível

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Franca foi equipada com um biodigestor que capta diariamente 2.500 m³ de biogás, capaz de produzir biometano suficiente para substituir 1.500 litros de gasolina. Foto: Rene Moreira/Estadão.

 

A iniciativa – já em uso na Europa – é pioneira por aqui e foi possível graças a uma parceria da Sabesp com o Instituto Fraunhofer, da Alemanha. O sistema na estação de tratamento envolve a remoção das impurezas e umidade do esgoto, com o aumento da concentração de metano. Após todo um processo, surge o biometano, que será usado como combustível na cidade paulista de 350 mil habitantes. Ele começou a ser desenvolvido através do convênio firmado pela estatal, e o custo é de R$ 7,4 milhões, sendo mais de R$ 5 milhões aplicados pelo governo alemão por meio da Iniciativa Internacional de Proteção Climática.

+++ Com dívida de R$ 100 bi, usinas apostam em etanol para tentar se recuperar

“Com o mesmo poder calorífico da gasolina, o biometano traz vantagens no âmbito ambiental, pois polui até 90% menos”, diz o presidente da Sabesp, Jerson Kelman.

+++ Brasil defende etanol em conferência do clima na Alemanha

Ele lembrou que a novidade também ajuda a reduzir o consumo de combustíveis fósseis. Para se tornar realidade, no entanto, foi preciso importar tecnologia.

Segundo um dos engenheiros envolvidos no projeto, a Sabesp enfrentou entraves burocráticos para trazer equipamentos do exterior e dificuldades com a montagem dessas peças e as interligações necessárias no caminho do gás até a bomba.

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Franca foi equipada com um biodigestor que capta diariamente 2.500 m³ de biogás, capaz de produzir biometano suficiente para substituir 1.500 litros de gasolina. Mas estudos apontam que a produção em Franca será capaz de abastecer 200 veículos leves. Na Sabesp, 19 carros já estão adaptados e rodando com o gás do esgoto.

O novo combustível pode ser usado em qualquer veículo que conte com o kit de GNV. Na Sabesp, a intenção é abastecer cerca de 50 automóveis com o biometano e no futuro distribuir o excedente para empresas parceiras.

O novo combustível será monitorado por órgãos reguladores como a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que já vinha discutindo regras para o gás produzido em estações de esgoto e aterros sanitários.

Franca foi escolhida para receber o projeto em razão de sua elevada capacidade de processamento do esgoto. Neste ano, o município ficou mais uma vez em primeiro lugar no Ranking do Saneamento Básico das cem maiores cidades do país do Instituto Trata Brasil. Localizada a 400 quilômetros da capital paulista, a cidade tem 100% de todos os dejetos domésticos tratados.

 

Cidade do interior de SP passa a usar gás do esgoto como combustível

Estudos apontam que a produção em Franca será capaz de abastecer 200 veículos leves; na Sabesp, 19 carros já estão adaptados e rodando com o gás do esgoto.  Foto: Rene Moreira/Estadão.

Fortaleza

No Nordeste está prevista para ser inaugurada oficialmente na segunda quinzena deste mês a Gás Natural Renovável Fortaleza (GNR Fortaleza), usina que produzirá biogás a partir do lixo coletado na capital cearense. Ela foi desenvolvida com recursos que somam no total perto R$ 100 milhões e terá capacidade inicial de produzir até 80 mil m³ de gás biometano por dia.

A usina fica na região do aterro sanitário de Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza, e para onde vai quase todo o lixo sólido da capital. São despejados no local diariamente em torno de 3 mil toneladas de resíduos, que devem ser transformados em combustível.

Ela já vinha trabalhando em fase experimental e fornecia o biometano para uso industrial em uma fábrica de cerâmica, mas ele também poderá ser comercializado nos postos para veículos. Para tornar isso viável, a Companhia de Gás do Ceará (Cegás) pretende construir um gasoduto de 23 quilômetros interligando o empreendimento no aterro até sua rede de distribuição de combustível, algo inédito no País.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *